IRMÃO SOL E IRMÃ LUA

IRMÃO SOL E IRMÃ LUA

A VINDA DE JESUS

A VINDA DE JESUS

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
Pastai as nossas almas, nos verdes prados do Senhor!

CÂNTICO DAS CRIATURAS - "SANTA CLARA E S. FRANCISCO DE ASSIS"

CÂNTICO DAS CRIATURAS - "SANTA CLARA E S. FRANCISCO DE ASSIS"

Louvado seja Deus!

Louvado seja Deus!
Como são lindas as aves do céu!

Origada Senhor porque criastes o mundo!

Origada Senhor porque criastes o mundo!
E as criaturas da terra!

SÍMBOLO DA PAZ

Chegará o dia em que o Homem conhecerá o íntimo dos animais. E neste dia um crime contra um animal, será considerado um crime contra a Humanidade. Leonardo da Vinci

IMAGEM TERNURENTA DOS LEÕES

IMAGEM TERNURENTA DOS LEÕES
“…Chegará o tempo em que os lobos e os carneirinhos pastarão juntos, os leões comerão palha como bois, e as cobras não atacarão mais ninguém…” Isaías 65:25

terça-feira, 26 de abril de 2011

O Evangelho e a Lâmpada Encantada


A palavra Evangelho, tradução do antiqüíssimo termo grego Evanguelion, quer dizer Boa-Nova. Já em tempos imemoriais tinha essa significação, como se pode ver no escrito de Luciano, na versão da Bíblia feita pelos setenta sábios e em muitos outros documentos históricos. Com esse sentido a empregaram os romanos, principalmente no culto dos imperadores.

Fala-nos Goethe, o célebre poeta, de uma Lâmpada Encantada que, quando colocada em casa humilde, a fazia maravilhosamente rica.
O Evangelho do Cristo é como essa Lâmpada Encantada. Torna maravilhosa a vida mais humilde e glorifica todas as relações e deveres.

(fonte: Lendas do Céu e da Terra)/Bolg Almas Castelos (cortesia)

São Francisco e os pássaros selvagens


Um jovem havia apanhado um dia muitas rolas e levava-as a vender. Encontrando-o São Francisco, o qual sempre sentia singular piedade pelos animais mansos, olhando com os olhos piedosos aquelas rolas, disse ao jovem:

"Ó bom moço, peço-te que mas dês, para que passarinhos tão inocentes, os quais são comparados na santa Escritura às almas castas e humildes e fiéis, não caiam nas mãos de cruéis que os matem".

De repente aquele, inspirado por Deus, deu-as todas a São Francisco; e ele recebendo-as no regaço, começou a falar-lhes docemente:

"Ó irmãs minhas, rolas simples e inocentes e castas, por que vos deixastes apanhar? Agora quero livrar-vos da morte e fazer-vos ninhos, para que deis frutos e vos multipliqueis, conforme o mandamento do vosso Criador".

E vai São Francisco e para todas fez ninhos. E elas, usando-os, começaram a pôr ovos e criar os filhos diante dos frades: e assim domesticamente viviam e tratavam com São Francisco e com os outros frades, como se fossem galinhas sempre criadas por eles. E dali não se foram enquanto São Francisco com sua bênção não lhes deu licença de partir. E ao moço que lhas havia dado, disse São Francisco: "Filho, ainda serás frade nesta Ordem e servirás graciosamente a Jesus Cristo".

E assim foi; porque o dito jovem se fez frade e viveu na Ordem com grande santidade.

I FIORETTI
fonte: blog Almas Castelos (cortesia)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Frei leão só podia responder o contrário


Estando uma vez S. Francisco, no princípio da Ordem, com Frei Leão em um convento, onde não havia livro para rezar o ofício divino, ao chegar a hora de Matinas, disse S. Francisco a Frei Leão:

"Caríssimo, não temos breviário, com que possamos rezar Matinas: mas, a fim de passarmos o tempo louvando a Deus, eu direi e tu me responderás como te ensinar; e toma cuidado, não digas as palavras de modo diverso do que te ensinar. Direi assim: 'Õ irmão Francisco, praticaste tanto mal, tais pecados no século que és digno do inferno'; e tu, irmão Leão, responderás: 'Verdadeira coisa é que mereces o inferno profundíssimo"'

E Frei Leão, com simplicidade columbina, respondeu:

"Estou pronto, pai, começa em nome de Deus".

Então S. Francisco começou a dizer: "Ó irmão Francisco, praticaste tantos males e tantos pecados no século, que és digno do inferno". E Frei Leão respondeu: "Deus fará por ti tantos bens, que irás ao paraíso". Disse S. Francisco: "Não digas assim, irmão Leão; mas quando eu disser: 'Irmão Francisco, praticaste tanta coisa iníqua contra Deus, que és digno de ser maldito por Deus', responderás: 'Em verdade és digno de ficar mesmo entre os malditos"'.

E Frei Leão respondeu: "De boa mente, pai".

Então S. Francisco, entre muitas lágrimas e suspiros e a bater no peito, disse em altas vozes: "Ó meu Senhor do céu e da terra; cometi contra ti tantas iniqüidades e tantos pecados que por isso sou digno de ser amaldiçoado por ti".

E Frei Leão respondeu: "Ó irmão Francisco, Deus te fará tal, que entre os benditos serás singularmente bendito". E S. Francisco, maravilhando-se de Frei Leão responder sempre o contrário do que ele havia ordenado, repreendeu-o, dizendo: "Por que não respondes como te ensino? Ordeno-te, pela santa obediência, que respondas como te ensinar. Direi assim: 'irmão Francisco miserável, pensas tu que Deus há de ter misericórdia de ti; não é tão certo que tens cometido tantos pecados contra o Pai da misericórdia e o Deus de toda consolação, de modo que não és digno de encontrar misericórdia?' E tu, irmão Leão, ovelhinha, responderás: 'De nenhum modo és digno de alcançar misericórdia"'.

Mas depois, quando S. Francisco disse: "O irmão Francisco miserável", etc., então Frei Leão respondeu: "Deus Pai, cuja misericórdia é infinita mais do que o teu pecado, fará em ti grande misericórdia e te encherá de muitas graças".

A esta resposta S. Francisco docemente irritado e pacientemente perturbado disse a Frei leão: "Por que tiveste a presunção de ir contra a obediência, e por tantas vezes respondeste o contrário do que te impus?" Respondeu Frei Leão muito humilde e reverentemente: "Deus o sabe, pai meu, que cada vez tive vontade de responder como me ordenaste: mas Deus me fez falar como quis e não como eu queria".

Do que S. Francisco se maravilhou e disse a Frei Leão: "Peço-te afetuosamente que desta vez me respondas como te disser".

Respondeu Frei Leão: "Dize em nome de Deus, que por certo responderei desta vez como queres". E S. Francisco, entre lágrimas, disse: "Ó irmão Francisco miserável, pensas que Deus terá misericórdia de ti?" Responde Frei Leão: "Antes grandes graças receberás de Deus e serás exaltado e glorificado na eternidade, porque quem se humilha será exaltado: e eu não posso dizer de outro modo, porque Deus fala pela minha boca".

E assim nesta humilde contenda, com muitas lágrimas e muita consolação espiritual, velaram até ao amanhecer.

Fonte: Blog Almas Castelos (cortesia)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

S. FRANCISCO DE ASSIS



E a natureza que ele amava. S. Francisco de Assis ajudai-nos a seguir-vos!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

domingo, 10 de abril de 2011

Frades inspirados pelo Espírito Santo


Estando S. Francisco uma vez, nos princípios da Ordem, recolhido com os seus companheiros a falar de Cristo, em um convento, no fervor de espírito mandou a um deles que em nome de Deus abrisse a boca e falasse de Deus o que o Espírito Santo lhe inspirasse.

Obedecendo o irmão à ordem e falando maravilhosamente de Deus, S. Francisco lhe impôs silêncio e mandou a outro irmão que fizesse o mesmo.

Obedecendo este, e falando sutulíssimamente Deus, S. Francisco lhe impôs o silêncio e ordenou ao terceiro que falasse de Deus. O qual semelhantemente começou a falar tão profundamente das coisas secretas de Deus, que certamente S. Francisco conheceu que ele, como os dois outros, falava pelo Espírito Santo. E isto ainda se demonstrou por nítido sinal; porque, estando neste falar, apareceu Cristo bendito no meio deles sob as espécies e em forma de um jovem belíssimo, e abençoando-os, encheu-os a todos de tanta doçura, que todos foram arrebatados de si mesmos, sem sentir nada deste mundo. E depois, voltando eles a si, disse-lhes S. Francisco:

"Irmãos meus caríssimos, agradecei a Deus, que quis pela boca dos simples revelar os tesouros da divina sapiência; porque Deus é aquele que abre a boca aos mudos e faz falar sapientíssimamente a língua dos simples".

I FIORETTI
fonte: blog Almas Castelos (cortesia)

sexta-feira, 8 de abril de 2011


Sem comentários!

QUANDO A NATUREZA SE ZANGA COM O HOMEM!






JAPÃO 2011

Diante destas imagens de destruição, que não nos podem deixar indiferentes a nós cristãos, devemos refectir que é que está a acontecer a este planeta ou o que lhe estamos nós a fazer? Tanta desgraça espalhada por este mundo, não será um aviso de Deus, um alerta de Deus, mais um de tantos que a humanidade tem recebido e não tem dado importância?! Não abusemos da paciência de Deus...